segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Vídeo de ex-evangélico gay distorcendo a Bíblia viraliza na internet



Jovem lê passagens sobre Davi e Jônatas para dizer que comportamento homossexual é bíblico

Durante a última semana, uma polêmica envolvendo evangélicos e defensores do movimento homossexual rapidamente se instalou no Facebook. Um vídeo do jovem Daniel Ricardo, que se apresenta como gay e filho de uma ex-pastora evangélica teve cerca de um milhão de visualizações, consideradas também as visualizações no Youtube.
Em um minuto e meio ele lê vários versículos bíblicos do Antigo Testamento, tentando “provar” que Davi e Jônatas tinham um relacionamento homoafetivo.
O jovem enfileira trechos que falam sobre o relacionamento entre Jônatas e Davi. No final, afirma que são os evangélicos que distorcem a narrativa: “Agora se vocês destorcem isso pra falar que eu ser quem eu sou é errado, o problema é de vocês, não meu. Vamos ler a Bíblia”.
Embora não seja o primeiro vídeo defendendo o homossexualismo e provocando os evangélicos postado na internet brasileira, esse tem chamado atenção por que o autor afirma que conhece a Bíblia.
Ele não dá muitos detalhes sobre qual igreja ele e a mãe pertenciam. Apenas justifica que durante 10 anos foi membro de uma igreja evangélica cujos cultos ocorriam dentro de sua casa. Fica subentendido que ele não é mais membro, mas se considera conhecedor das Escrituras.
Entre os mais de 13 mil compartilhamentos e milhares de comentários, fica claro que ele ofendeu muita gente. Uma grande quantidade de comentaristas na rede social citou versículos que condenam a prática homossexual.
Alguns gays reclamavam da suposta homofobia de todas as igrejas e agradeciam pelo “esclarecimento”. Como é comum nesses casos, muitas ofensas e acusações entre os que defendiam e os que reclamavam do conteúdo.
Curiosamente, alguns evangélicos que simplesmente diziam discordar dos argumentos e que ser homossexual não é um comportamento aceito por Deus são acusados de homofobia.
Assista:
MINHA ADAPTAÇÃO: Senhores , eu não estou promovendo esse rapaz,  até porque ele precisa ser liberto e está distorcendo o texto bíblico sem analisar o contexto. Não há elementos exegéticos que mostre essa aberração , apenas ele leu o texto  mas não interpretou-o.


Malafaia e procurador denunciam erotização de crianças nas escolas


Programa Vitória em Cristo entrevistou o procurador Guilherme Schelb

O programa Vitória em Cristo, que foi ao ar neste sábado (27) trouxe uma entrevista com o procurado da República Guilherme Schelb.  Apresentado pelo pastor Silas Malafaia, a tônica foi uma série de denúncias sobre a maneira como as crianças estão sendo submetidas na sala de aula a ensinamentos que envolvem sexo.
O procurador deixou claro que o procedimento é “ilegal e inconstitucional”, sendo uma violação ao direito das crianças e da família. Em alguns casos, os alunos eram orientados a não contar aos pais.
Para Schelb, é uma erotização precoce de crianças sob a desculpa de ser defesa das minorias e de direitos humanos. Isso inclui homossexualidade, bissexualidade, prática do sexo anal, grupal e até com animais.
Tudo isso faz parte da agenda do Partido dos Trabalhadores, que comanda o Ministério da Educação (MEC). O assunto já vem sendo denunciado por membros da bancada evangélica há bastante tempo, mas continua sendo ensinado.
A questão central é que os professores não poderiam ensinar esse tipo de assunto pois viola leis do Código Civil em vigor no país, inclusive a Constituição Federal. A formação moral e religiosa é de alçada dos pais e não da escola. Para Malafaia, isso tudo reflete o “jogo moral” da esquerda brasileira.
O programa ensinou como os pais podem proteger seus filhos notificando escolas e professores que incorrerem nesse crime. O passo a ser dado é uma Notificação Extrajudicial, que podem questionar na justiça os professores ou escolas, caso estejam ensinando sobre sexualidade e ideologia de gênero aos filhos menores de idade.
Durante a entrevista, Malafaia voltou a denunciar que a “ideologia de gênero” é uma imposição de fundo marxista que visa a destruição da família. O principal aspecto é minar a autoridade dos pais e os fundamentos morais, especialmente os defendidos pelos cristãos.
O procurador Guilherme Schelb reforça a vulnerabilidade das crianças que acabam sendo expostas a uma doutrinação por diversos meios.
O portal Gospel Prime disponibiliza para você baixar as notificações extrajudiciais para professores e diretores. É necessário protocolar na escola de seu filho em 3 vias. Guardar uma via devidamente recebida pelo responsável, com identificação e assinatura. Entregar a outra via recebida para o professor de seu filho.
Notificação para professores (clique aqui para baixar)
Notificação para diretores (clique aqui para baixar)

Assista a entrevista com Guilherme Schelb:

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Graça Filmes: há cinco anos valorizando a família




10959587_853249214722078_1567624743053314151_n

Referência no mercado gospel, empresa confirma seu compromisso com a família brasileira e anuncia o lançamento de À Moda Antiga.
Em Março, a Graça Filmes completou cinco anos de existência, conseguindo consolidar-se no mercado como a principal distribuidora de filmes gospel no Brasil. Ao longo dos anos, sua história foi permeada por grandes sucessos, como as produções Três Histórias, Um Destino,Deus Não Está MortoQuestão de Escolha, dentre outros títulos em DVD. Além disso, conquistou o posto de detentora do maior e mais diversificado catálogo da América Latina no segmento em que atua.
Neste momento de celebração, a empresa reafirma sua missão de proporcionar entretenimento de qualidade para a família brasileira. E o faz por meio da seleção de lançamentos para 2015, que vão de encontro às polêmicas produções hollywoodianas voltadas para a banalização da exploração sexual e desvalorização da mulher. Dentre as apostas da instituição, está À Moda Antiga, a ser lançada em maio.
A obra conta a história de duas pessoas distintas. De um lado, Clay (Rik Swartzwelder), com uma trajetória de vida que vai de um passado imoral a uma vida de princípios e fé em Deus. Agora, um novo homem, ele abandona a vida de farras para gerenciar um antiquário em uma pequena cidade. De outro lado, está Amber (Elizabeth Roberts), uma mulher de mente aberta, que se encanta com as ideias de Clay sobre o amor. Ambos aprenderão que superar o medo e as feridas do passado pode ser uma tarefa difícil, mas vital na construção de uma relação sólida, que honre a Deus. Como o slogan do próprio filme diz, “O amor é paciente, o amor é bondoso, o amor é À Moda Antiga”.
De acordo com o Censo 2010, realizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil apresentou um novo recorde no número de divórcios, que ocorreram em aproximadamente 50% de casos registrados. Portanto, nos últimos anos, movimentos como oEu Escolhi Esperar têm grande importância, ao se propor a influenciar jovens em todo o país, incentivando-os a compreender a seriedade do envolvimento sentimental e o impacto que isso pode causar em um futuro casamento.
A abordagem desse lançamento da Graça Filmes em DVD promete elevar os relacionamentos a um patamar sólido, onde há o respeito ao outro, levando em conta que os sentimentos, por si só, já podem ser muito mais complicados de se lidar do que se pensa, mesmo sem existir a relação sexual.
Ao longo desses anos, a preocupação da empresa permanece a mesma: transmitir mensagens que edifiquem vidas. Os diversos testemunhos recebidos, no decorrer desse tempo, mostram os frutos de um trabalho que revolucionou o cinema cristão nacional. A introdução dos filmes de fé no cenário brasileiro iniciou a quebra de paradigmas na sociedade e se revelou uma potente estratégia de evangelização.
Assista ao trailer legendado do filme À Moda Antiga:
Conheça o site da Graça Filmes para demais informações: www.GRACAFILMES.com.br

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Família muçulmana se converte após visita de Jesus


Família muçulmana se converte após visita de Jesus
Família muçulmana se converte após visita de Jesus







O missionário americano Tyler Connell vem percorrendo universidades ao redor dos EUA, compartilhando histórias e vídeos sobre o trabalho de evangelização no Oriente Médio. Ele conta que há um movimento forte de conversões entre os muçulmanos, especialmente os refugiados da guerra.
“Jesus está se movendo nas nações do Oriente Médio”, alerta. “Há muitos desiludidos [com o Islã] e quebrantados que só querem saber a verdade. Agora mais do que nunca, há uma colheita entre os muçulmanos como nunca foi vista na história.”
Entre os vídeos com testemunhos, o que tem chamado muita atenção é sobre um jovem missionário chamado Daniel (nome alterado por razões de segurança), 24 anos. Ele saiu dos EUA para trabalhar com refugiados sírios em um país do Oriente Médio.
Ele faz parte de uma equipe que visita regularmente famílias muçulmanas. Quando têm oportunidade, começa a falar sobre o Evangelho.
Uma tarde, Daniel entrou em uma tenda onde vive uma família de oito pessoas. “Oi, eu sou Daniel e estou aqui para lhes contar sobre Jesus”, anunciou. A reação foi fora do comum. “A família se apavorou, eles olhavam uns para os outros, estavam pálidos. O pai ficou muito animado, gritando.”
O intérprete conversou com eles e explicou ao missionário que na noite anterior à sua visita, toda a família estava sentada na tenda tomando chá quando apareceu um homem vestido de branco, que parecia brilhar. Ele ficou na entrada da tenda e disse em árabe: “Olá, meu nome é Jesus e amanhã enviarei um homem chamado Daniel para lhes contar mais sobre mim.” Em seguida, desapareceu.
Eles ficaram confusos e no dia seguinte, quando Daniel entrou e disse-lhes seu nome, eles não acreditaram. “Pediram-lhe para que ele contasse tudo sobre Jesus. Ouviram então o Evangelho e toda a família entregou sua vida para Jesus”, comemora Connell.
O pai tinha sido soldado no Exército Livre da Síria. Era um muçulmano devoto, que tinha visto muito derramamento de sangue. “Aquele homem e sua família agora estão ajudando a plantar igrejas subterrâneas e participando de uma grande colheita de almas entre os muçulmanos”, revela o missionário.
Segundo Connell essa é só uma das muitas coisas incríveis que os evangelistas estão testemunhando. Conta que na casa de uma outra família de refugiados da Síria, sentiu a presença de Deus de uma forma surpreendente.
“Havia cerca de 25 pessoas e a presença de Jesus era mais forte do que em qualquer conferência, qualquer sala de oração ou qualquer culto de retiro em que já estive. Jesus estava ali, no meio do deserto, na terra, com os muçulmanos. Ele é atraído por um coração partido, pelo contrito, o desesperado. O Rei do Céu estava lá com os pobres de espírito”, comemora.
O pedido que faz agora é que a Igreja do Ocidente não pare de orar pelo trabalho de evangelização em meio aos muçulmanos, especialmente para que Deus levante mais obreiros que estejam dispostos a levar o Evangelho aos milhões não alcançados, que ainda precisam ouvir sobre quem é Jesus.
 Fonte : Assist News e Charisma News

Arqueólogos descobrem inscrições antigas “na língua de Jesus”

Arqueólogos descobrem inscrições antigas “na língua de Jesus”


Arqueólogos descobrem inscrições "na língua de Jesus"


Achados no norte de Israel comprovam presença judaica no local no primeiro século d.C.
Se antigamente achados arqueológicos em Israel serviam apenas para ‘comprovar’ muitos relatos bíblicos, nos últimos anos tornaram-se também uma questão política. Afinal, existe uma tentativa contínua da Autoridade Palestina de negar a conexão judaica com a Terra Santa no passado. Mais uma vez ela é comprovada cientificamente.
Nas últimas semanas, escavadores israelenses encontraram inscrições em grego e aramaico em um cemitério nas ruínas de Séforis, antiga cidade da Galileia. Localizada no norte de Israel, distava apenas 6 Km de Nazaré. Os três epitáfios encontrados possuem cerca de 1.700 anos. Eles são mais uma comprovação da presença judaica naquela região no primeiro século depois de Cristo.
As descobertas foram divulgadas pela Autoridade de Antiguidades de Israel. “Séforis foi a primeira capital da Galileia, desde o período da dinastia dos hasmoneus até o estabelecimento de Tiberias, no primeiro século”, explicaram os pesquisadores em um comunicado à imprensa.
Segundo as imagens apresentadas, algumas palavras vão sendo “decodificadas”. O termo grego para “José”, um nome comum entre os judeus na época. Isso comprova que embora o aramaico era a língua principal, alguns judeus eram helenistas, ou seja, adeptos da cultura grega.
Além disso, há três palavras em aramaico. São elas “Tiberiano”, “sempre” e “Mestre”. Os estudiosos sempre defenderam que o aramaico era a língua falada por Jesus.
O professor Moti Aviam, do Instituto de Arqueologia Kineret da Galileia, disse em um comunicado: “Uma das surpresas nas inscrições é que um dos mortos era chamado de ‘o Tiberiano’. Essa descrição é a segundo registro de alguém natural de Tiberíades enterrado no cemitério de Séforis”.
Aviam explica que os investigadores têm duas teorias sobre quem poderia ser esse “Tiberiano”. A principal é que se tratava de um judeu galileu que pode ter sido enterrado no cemitério de Séforis por causa das importantes atividades conduzidas no local pelo rabino Yehuda Ha-Nasi, conhecido por ter compilado por escrito as tradições judaicas pós-bíblicas.
Existe também a possibilidade que o termo significa simplesmente a cidade natal do homem, no caso, Tiberíades, o mesmo nome dado ao local pelo Novo Testamento.
A outra descoberta surpreendente é da palavra aramaica “le-olam”, que significa “para sempre”. Os investigadores afirmam que essa foi a primeira vez que a palavra apareceu em Séforis.
Aviam esclarece: “O termo le-olam é conhecido de inscrições funerárias em Beit She’arim (na Galileia) e em outros lugares, e significa que o enterro do falecido permanecerá seu para sempre e ninguém vai tomá-lo. Ambas as inscrições terminam com a bênção de shalom (termo hebraico para paz)”.
Embora a inscrição em aramaico mencione um “rabino”, os pesquisadores admitem que não têm certeza que seria ele, pois 1700 atrás Séforis era uma cidade conhecida por seus muitos estudiosos da Torá.
Para a Autoridade de Antiguidades de Israel, as novas escavações são mais uma comprovação que a cultura judaica se mantinha forte na antiga Séforis.
“A vida judaica na cidade era rica e diversificada, como indicam numerosos locais de banhos rituais (miqwe’ot) descoberto na escavação. Ao mesmo tempo, a influência da cultura greco-romana era bastante evidente. Isso fica evidenciado no design da cidade, com suas ruas pavimentadas, estradas principais, presença de colunas, teatro e casas de banho”, enfatiza.

sábado, 20 de fevereiro de 2016

“Assembleia de Ateus” na Globo troca Jesus por Darwin



Programa Tá no Ar volta a fazer quadro com sátiras a evangélicos


O programa “Tá no Ar”, da rede Globo foi criado pelo humorista Marcelo Adnet dois anos atrás. É considerado por muitos o melhor programa de humor da TV abeta. Contudo, desde os primeiros episódios ele gera descontentamento nos evangélicos por satirizar suas crenças e maneira de ser.
O primeiro ataque foi em 2014, com a sátira da série americana “Friends”, rebatizado de “Crentes”. No quadro, os personagens com nomes bíblicos falavam de amenidades citando termos conhecidos entre os evangélicos como vigília e escola dominical. A letra-tema do seriado americano foi reescrita, dizendo “pago o dízimo, 10% para o pastor”.
Em fevereiro de 2015, uma esquete mostrava um comercial de um DVD infantil, chamado de Galinha Convertidinha. A personagem usava saia, camisa, óculos e um coque e cantava uma canção infantil falando de juízo final. Entre os personagens estava o “Cãozinho Pastor”, um pastor alemão vestido de terno e gravata que pedia dinheiro. Havia também a personagem “Ovelhinha de Jesus”, que era muito burra.
Um mês depois, o programa colocou a travesti Rogéria narrar a Bíblia. O quadro ganhou o nome de “A Bíblia Segundo Rogéria”, onde ela usa o vocabulário e gírias de homossexuais para contar histórias como de Adão e Eva e de Moisés.
Analisando o “Tá no Ar” em sua coluna, o jornalista Ricardo Feltrin chegou a escrever “Nunca um programa da emissora debochou tanto de religiões e, especialmente, da figura dos evangélicos e seus pastores”.
Ontem (16), o programa voltou a usar elementos conhecidos dos evangélicos para ridicularizá-los no quadro “Assembleia de Ateus”. O cenário mostra um local que lembra um templo, que implicitamente seria da Assembleia de Deus. Contudo, o pregador, interpretado por Adnet, imita o jeito característico dos pastores da Igreja Universal falarem.
Usando uma série de menções ao ateísmo, o texto do quadro propõe uma troca de expressões comuns para os evangélicos por “equivalentes” ateístas. Por exemplo, o “aleluia” foi substituído por “eureca”. As orações terminam com “Em nome de Darwin, de Newton e de Albert Einstein” e o amém virou “a Nietzsche.”
O pretenso pastor chama as pessoas para “louvar a ciência e dar uma salva de palmas para o acaso”. A pintura no teto do templo, ao invés de imagens religiosas, tinha uma tabela periódica dos elementos químicos.
No lugar da Bíblia, é feita a leitura da “Segunda lei de Newton”. O quadro finaliza com um “período de louvor”, só que a Darwin e não a Jesus.
Nas redes sociais uma página ateísta compartilhou o vídeo, tendo mais de 200 mil visualizações em menos de 24 horas. Os comentários deixam claro que os evangélicos consideram esse tipo de provocação uma forma ofensiva de humor.

Antigo Testamento é reconhecido pela Unesco como “tesouro mundial”


Exemplar é a cópia completa mais antiga da Bíblia hebraica

Conhecida como “Códice de Alepo”, o manuscrito contendo parte do Antigo Testamento foi escrito por volta do ano 920 depois de Cristo, em Tiberíades, por Shlomo Bem Buya’a.
Originalmente tinha 487 folhas, mas apenas 294 continuam preservadas. A maior parte do Pentateuco, os primeiros 5 livros da Bíblia, foi perdida, bem como os últimos livros: Eclesiastes, Jô, Ester e Esdras.
Durante séculos ele foi sendo cuidado por diferentes comunidades judaicas, tendo ficado por muito tempo no Egito. Roubado durante as Cruzadas, por volta de 1330, acabou ficando em Alepo, na Síria, onde recebeu o apelido pelo qual é melhor conhecido.
Voltou para Israel em 1958, sendo levado para o Museu do Livro, em Jerusalém em meados dos anos 1980. Continua em exibição no local até hoje.
Depois de anos analisando, a Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (UNESCO) finalmente aceitou colocar o livro no Registo da Memória do Mundo.
Oficialmente é um “tesouro mundial”, denominação que recebem algumas das mais importantes descobertas da história da humanidade. Embora não seja a cópia mais antiga do Antigo Testamento, a UNESCO considera que ele tem valor especial por ser a mais completa. Com informações de Gospel Herald

domingo, 14 de fevereiro de 2016

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Presidente da Venezuela deu tom espiritual ao seu discurso




As comemorações do aniversário da chamada “Revolução Bolivariana”, iniciada em 1999 por Hugo Chávez, ocorreram no início do mês na Venezuela. Entre os diversos eventos, o tom do discurso do presidente Nicolás Maduro chamou atenção.
Afundado em uma grande crise econômica e tendo sofrido derrotas importantes nas últimas eleições, o governo Maduro fez um apelo espiritual.
Apelou aos seguidores de todas as crenças, incluindo pastores, dizendo que acredita na diversidade religiosa e respeita todas as crenças. Em seguida, disparou: Alá, Jesus Cristo e Iemanjá são “um único Deus”.
“Eu acredito em todos vocês porque por trás da Venezuela há um poder, o poder do nosso Deus, o criador… uns vãos orar a Alá, outros a Jesus Cristo, ou ainda tocar tambor para Iemanjá”, disse ele, recebendo aplausos do público.
Na Venezuela, assim como no Brasil, as religiões africanas são praticadas por parte da população, que adora e serve aos “orixás”.
Não é a primeira vez que Maduro tenta se utilizar de um discurso religioso para, de alguma forma, atingir uma parcela maior da população. Em 2015 afirmou ter recebido uma “visita” de Jesus Cristo, em uma experiência mística.
Em 2013, o presidente da Venezuela insistiu durante meses que Chávez foi “um tipo de novo Jesus”. Para ele, seu antecessor também teve, como missão na Terra, “proteger aqueles não possuíam nada”. “Cristo fez-se carne, fez-se nervo, fez-se verdade em Chávez”, asseverou Maduro.
No ano seguinte, um encontro nacional do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV) ensinou aos membros a fazer uma oração que modificava o “pai nosso”. Ela começa dizendo “Chávez nosso que estás no céu, na terra, no mar e em nós, os delegados” e termina dizendo “não nos deixes cair na tentação do capitalismo, mas livrai-nos da maldade da oligarquia. Porque nossa é a pátria, pelos séculos e séculos. Amém e viva Chávez”.
Assista:
Fonte : Maduradas

Extremistas hindus perseguem cristãos na Índia




Pastor é torturado e obrigado a desfilar em cima de burroPastor é obrigado a desfilar em cima de burro






Um grupo ativista hindus chamado Bajrang Dal prendeu e torturou um jovem pastor chamado Avdhesh Savita.
Como forma de humilhação, rasparam metade da sua cabeça, uma sobrancelha e um lado de seu bigode. Depois, o colocaram em um jumento e o levaram em procissão pela cidade de Orai, no estado de Uttar Pradesh.
Avdhesh Savita, 36, se converteu a Jesus há seis anos e ministrava na vila Randar, onde vive com a esposa e os quatro filhos. Sua pregação estava incomodando os líderes religiosos do local, que o acusam de ter forçado a conversão de três hindus ao cristianismo.
Além disso, o pastor é acusado de força-los a profanar imagens de deuses hindus, caminhando sobre eles. Porém, a denúncia mais grave foi ele supostamente ter forçado os três a comerem carne de vaca. Esse é um crime grave, pois a proibição de abate de gado está na Constituição indiana.
O fato de o pastor Savita ser da comunidade dalit (intocáveis), contribuiu para ele ser humilhado publicamente, pois seus membros são vistos como menos importantes. Suas filhas, de 16 e 14 anos, e os dois filhos, 11 e 8 precisaram abandonar a escola. Eles temem ser sequestrados ou insultados publicamente, como aconteceu com o pai. A família pretende sair da cidade, temendo retaliações.
Falando à imprensa, Savita relata: “A multidão estava gritando ‘Mate-o e corte-o em pedaços’, mas eu continuei dizendo aos meus algozes que eu creio em Cristo e que nunca fiz mal a ninguém. Mas eles simplesmente não me ouviam”. Ele foi colocado sobre um burro, o que na cultura local serviria para ridicularizá-lo.
O pastor Savita diz ainda ser “grato por este privilégio de ser perseguido por causa do meu Senhor”. “Eu orei durante o tempo todo, mas não por que tenha medo de morrer”, disse Savita.
“Eu pensava: ‘Este pode ser o dia em que estarei diante de meu Salvador’. Só que eu também pensei nos meus filhos, pois eles são muito jovens”, desabafou.
A denúncia contra Savita foi feita por Sangam Jatav, enquanto Sunil Jadhav e Ravi Saxena negam que tenham sido obrigados a se converter ou a comer carne. O pastor afirma que tudo não passou de uma intriga de Jatav, que tentou extorqui-lo pedindo dinheiro para comprar bebidas alcoólicas e cigarros.
Quando Savita, se recusou ouviu ameaças. Ele procurou uma rede de TV local e começou a fazer acusações sem provas. Poucos dias depois, a casa do pastor foi invadida pelos radicais e ele foi humilhado publicamente.
As autoridades locais revelaram que existem três processos contra Jatav, sendo que um deles é por tentativa de homicídio.

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2016

Liberdade religiosa na China

Novas leis restringem liberdade religiosa na ChinaNovas leis restringem liberdade religiosa na China





A ONG Human Rights Watch (HRW) divulgou na semana passada o seu 26º relatório sobre direitos humanos em mais de 90 países, destacando alguns países onde a liberdade religiosa e de expressão estão ameçadas.
A China é uma das nações que tem descumprido as normas internacionais de direitos humanos. O relatório mostra que membros de grupos em defesa dos direitos humanos foram vítimas de uma campanha agressiva por parte do governo.
Entre julho e setembro do ano passado, cerca de 280 advogados que defendem ativistas e movimentos religiosos foram presos na China. Destes, 40 permanecem detidos sob custódia e a grande maioria está em locais secretos sem poder se comunicar com advogados ou familiares.
“O governo chinês também propôs leis para dificultar o funcionamento de ONG internacionais no país”, interpretando “a crítica pacífica como uma ameaça à segurança nacional”, diz o relatório da Human Rights Watch.
A prisão do advogado Zhang Kai, que prestava assessoria jurídica aos cristãos na província de Zhejiang, também foi citada no relatório. O advogado representava os cristãos que foram presos por resistirem à remoção forçada de cruzes em prédios de igrejas.
O documento da HRW afirma que em 2015 houve redução do número de crimes elegíveis à pena de morte, de 55 para 46 casos.
A ONG alerta que a China continua a ser um estado autoritário onde muitos dos direitos humanos são restringidos